Recentemente fiquei sabendo da história de um casal com filhos de 13 e 14 anos que resolveram educar as crianças em casa. Eles mesmos se encarregavam de ensinar o conteúdo de todas as disciplinas, e as crianças iam à escola apenas para fazer as provas e entregar os trabalhos, sempre com boas notas. Esse é um método muito comum em países da Europa e nos Estados Unidos, mas no Brasil não é permitido, e esses pais foram condenados pela justiça Brasileira por abandono intelectual. Bom, esse assunto rende, não é? Mas contei essa história para falarmos de socialização. Fiquei pensando que independentemente de os pais terem ou não terem condições de dar uma boa educação para os filhos em casa, é importante considerar todas as oportunidades que estão disponíveis na escola. Já conversamos aqui sobre como a escola é um espaço importante para exercitar a convivência. A criança passa uma grande parte do seu tempo na escola, e é onde tem mais oportunidades de socializar, conviver com outras crianças em situações fora da família. No caso das crianças pequenas, Li nesse site que o brincar com outras crianças é muito importante para ela entender como se relacionar com as pessoas e com o mundo ao seu redor. E é na escola que ela tem os melhores momentos para isso. Acho até que essa convivência, essas oportunidades de trabalhar e brincar junto com outras crianças, aprender a resolver os conflitos que aparecem e a reconhecer diferenças são super importantes para que os pequenos cresçam com tolerância e, assim, não se envolvam em casos de bulliyng, que tem a ver com não conseguir aceitar o outro como ele é. No Portal Delas tem boas dicas sobre como estimular a socialização das crianças que, em minha opinião, é um aspecto que fica prejudicado em quem não frequenta a escola. E você? Como você faz para incentivar a socialização dos pequenos e trabalhar as questões de convivência? Quer saber mais sobre a história dos pais que mencionamos no começo do post? Veja aqui. E para ler mais sobre socialização nas crianças, recomendamos esse site.